quarta-feira, 20 de abril de 2016

A história de um milagre - parte III

Capítulo 3

A nossa luta estava apenas começando.
Eu entrei em uma depressão profunda. Não me olhava mais no espelho, não penteava meus cabelos, não fazia mais as minhas unhas, não comia, dormia apenas alguns minutos durante a noite e não conseguia conversar com mais ninguém além do Emerson. Chorava quase que 24 hs por dia.
Nem com a minha mãe, que na época foi ficar comigo em BH, eu conseguia conversar. Não é porque eu não queria, na realidade eu não conseguia. A minha fala travava sempre que eu ia falar.
Nessa época o Emerson trabalhava na indústria farmacêutica e tinha muitos amigos médicos. Todos indicaram um médico especialista em medicina fetal. Ele era professor do Hospital das clinicas em BH. Em conversa por telefone do Emerson com a minha antiga ginecologista de Montes Claros, ela disse sobre esse mesmo médico em BH, ela mesmo entrou em contato com ele, para que ele pudesse nos atender, já que ele não atendia mais primeira consulta.
Chegamos e contamos à ele toda a história. Ele fez o ultrassom, confirmou o problema e nos perguntou qual a nossa opiniao sobre tudo isso.
O Emerson respondeu:
- Minha opinião é que eu não vou desistir da minha filha, doutor.
E ele então nos parabenizou e disse que realmente não via motivos para desistir. Apesar de que nos alertou que de fato, ela seria uma criança especial, limitada e com sérios problemas neurológicos.
Começa aqui a nossa luta!
Os dias pareciam não terem fim. As noites eram mais longas ainda e eu, só sabia chorar e questionar a Deus!
- Por que Senhor? O que eu fiz de errado para tudo isso estar acontecendo comigo?
Como se merecêssemos algo de Deus! Como se o fato de ter honrado sempre meus pais, sempre ter sido uma excelente filha, me casado virgem e ter tido uma vida toda "certinha" não fosse mais que obrigação.!!
As perguntas para tantos por quês, não se calavam.
E assim íamos vivendo um dia após o outro. Fazendo ultrassons de 15 em 15 dias para acompanhar de perto tudo o que acontecia.
Eu sempre sonhei em ter uma filha para poder colocar o nome de Emilly. Sempre fui apaixonada por este nome.
Um belo dia, meu marido chegou em casa depois do trabalho e me disse:
- Amor, a nossa princesa vai se chamar Emilly Victoria. Pois ela será uma vitória de Deus em nossas vidas! Eu vou amá-la com todas as minhas forças e vou lutar até o fim pela vida dela!
Neste momento ele se ajoelhou, abraçou a minha barriga e chorando muito começou a cantar para a nossa filha.
🎶"Vc é um milagre da vida, milagre da criação, com Deus sim vc vai crescer, pois ele quem te fez nascer"…🎶
Acho que dá pra imaginar que a pessoa aqui está digitando e chorando horrores né?
Eu tenho que confessar uma coisa pra vocês.
Se antes de engravidar, eu já amava demais o meu marido, depois de tudo que vivi nesta gestação, Deus colocou em mim, um amor tremendo por este homem! Porque abaixo de Deus, foi ele quem me deu forças, me motivou, cuidou de mim...O Emerson foi meu alicerce aqui na terra. Aliás, ele é.
Mesmo tendo todos os motivos do mundo e ainda apoio médico para isso, ele disse não ao aborto. Mesmo todos os nossos amigos e familiares dizendo: "não seria melhor tirar?", ele se manteve firme e dizia: "vocês não sabem o que dizem."
Um cara super novo, com 29 anos de idade, uma vida inteira pela frente! Ele ama viajar o mundo e mesmo com a possibilidade de viver uma vida limitada, com uma criança em uma cadeira de rodas, usando fraldas para sempre, sem falar, apenas vegetando, ainda assim ele me mostrou uma fé verdadeira, uma dependência de Deus que eu jamais havia visto ou vivido.
Ele disse:
- Eu te quero filha! 
E isso era totalmente incondicional.
Os dias foram passando, eu continuava em depressão, ainda não recebia ninguém e nem conversava com as pessoas mais próximas que queriam me confortar. 
A minha angústia aumentava a cada dia e a cada ida ao banheiro a sensação que eu tinha, era de que havia sangue em minha calcinha e que eu estava perdendo a nossa filha. Eu evitava ao máximo ir ao banheiro, pois sempre que ia, esse era o meu pensamento.

(Continua...)





_________________________________________________________________________________
* Este texto foi escrito por Carla Toledo, é uma história real, vivenciada na cidade de Belo Horizonte (MG - BR) iniciando-se no ano de 2001 e,  está dividida no blog por capítulos para facilitar a leitura e compreensão dos fatos narradas pela autora.

Postar um comentário