sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Nossa história de amor - parte 3

Ele segurou minha mão, me olhou no olhos e eu achei que fosse me beijar de novo, mas não. Ele me puxou levemente, na direção do seu peito. Fiquei numa posição meio estranha, quase em cima do freio de mão. Eu não estava entendo o que ele queria fazer, aí ele falou: "vem cá", me ajudando até que eu ficasse igual um bebê em seus braços. Então me abraçou bem forte! E o que eu senti foi uma paz… Uma proteção. Imediatamente pensei que ali estava o meu abrigo e eu não queria mais sair dali.
Nesse momento, fomos interrompidos por um segurança do shopping, que passou de moto e buzinou. 
Dei até um pulo de susto!
Aproveitei a deixa e falei que precisava ir embora, porque já estava tarde.
Saí do carro, me despedi e ele ficou me olhando com aquela cara de "pidão", perguntando se eu realmente precisava ir embora, se não queria ir para outro lugar. Falei que não, que precisava mesmo ir.
Resumo do Post
Restante do Post
Entrei no carro e nem sei como dirigi até a casa dos meus pais! Sabe quando simplesmente parece que você flutua? Foi assim que eu estava me sentindo.
Chegando em casa, todo mundo queria saber como foi, como ele era, essas coisas. Minha família é muito unida, o que acaba nos fazendo também um pouco intrometidos na vida uns dos outros rsrs Contei que gostei dele, que o filme foi legal, que comemos, conversamos e tal. Só contei que "fiquei" com ele, pra minha mãe e minha cunhada. 
Fui dormir feliz, mas pensando em qual seria o próximo passo, se ele me ligaria, o que eu falaria pra ele…meus sentimentos estavam meio confusos. Ele não era da igreja, ninguém sabia quem ele era, já tinha dois filhos, duas tatuagens…não sabia direito o que pensar, porque minha vida toda fui educada para um único casamento, um único homem. Era um pouco estranho tudo isso estar acontecendo.
No dia seguinte, como de costume, ele me ligou. Tentei ser o mais natural possível e fingir que nosso encontro não tinha sido nada demais. Ele falou que no sábado era a festinha de aniversário do filho caçula dele, se eu gostaria de ir. A festa seria em Barueri, na casa da mãe do menino.
Achei aquilo super estranho, disse que era melhor não. Mas ele falou que não tinha problema, que ele pagou a festa e que poderia levar seus convidados também.
Além da saia justa de ir na casa da ex, eu também nunca tinha ido à Barueri! Não fazia ideia de como chegar!
Ele falou que me enviaria um mapa, que não tinha segredo.
Fiquei de pensar...
Conversei em casa e resolvi arriscar!
E lá fui eu dirigindo até onde ele morava e onde eu nunca havia estado.
Combinamos de nos encontrar na entrada da cidade, assim não teria erro.
Cheguei e vi o carro dele estacionado. Parei e ele já saiu do carro me beijando. Ô homem apressadinho!rsrsrs
Ele pediu que eu o seguisse até o estacionamento onde meu carro ficaria, de lá seguiríamos no dele.
Ele abriu o portão para eu estacionar e foi aí que passei a maior vergonha do mundo!!!
Eu simplesmente bati o carro na parede da rampa do estacionamento!!!
Como eu fiz uma coisa dessas?? Dirijo desde os 15 anos! O único acidente que sofri, eu fui a vítima e não a autora. E agora, bem na frente dele eu faço isso?? Pra piorar, eu travei! Não conseguia tirar o carro daquela posição. Ele teve que entrar no carro e estacionar pra mim.
A porta do motorista arranhou e amassou um pouco. Tive que fingir que aquilo não era nada, imagina!! Mas a verdade era que aquele carro era do meu irmão mais velho! Era novinho e meu irmão é super cri-cri com as coisas dele. Eu estava ferrada!!
Entrei no carro dele e lá fomos nós para a festa.
Como se nada mais de ruim pudesse acontecer naquela noite, enquanto estávamos no caminho, ele começou com uma história "errada". Disse que a ex dele era meio barraqueira, que era melhor a gente fingir que não tinha nada e tal… E que se ela perguntasse, era para eu dizer que a irmã dele que me convidou!!
Sério!!!!
Naquela hora eu queria sair do carro, ir embora e nunca mais olhar pra ele!!
Eu detesto mentira mais que tudo na vida!!!!
Quando chegamos, a irmã dele já estava do lado de fora esperando.
E eu fiquei pensando: "estava tudo combinado e a trouxa aqui caiu!"
Mas eu já estava lá, já tinha batido o carro, já tinha me decepcionado com ele… O que mais poderia acontecer?? 
Ele me apresentou pra sua irmã e gostei dela de cara! Me abraçou forte, falou que eu era linda, perguntou pelo meu filho, a gentileza em pessoa! Entrou de braços dados comigo.
É claro que a ex percebeu!
Ele saiu sozinho, chega na festa ao mesmo tempo que uma mulher…Só ele pra achar que ela seria tão burra.
Ela logo me deu uma fulminada com o olho, mas fingi que não vi.
Sentei com a irmã dele, ficamos conversando e ele lá do outro lado, com os amigos dele.
Até esse momento, na minha cabeça nós não tínhamos, nem teríamos nada. Eu só queria que aquela festa acabasse pra eu ir embora.
De repente ele veio até a mim com uma menininha, era a filha dele, que tinha 9 anos na época. Uma graça! A cara dele! 
Ele perguntou pra ela: "você gostou dela? Achou ela bonita?"
E ela respondeu que sim, sorrindo pra mim.
Nesse momento ele olhou pra ela e disse: "o papai vai casar com ela!"
Eu sorri, mas não sabia que ele estava falando sério, achei que era só mais uma mentira. (Sim, eu demoro um pouco pra perdoar rsrs)
A festa enfim acabou, não aguentava mais aquela saia justa!
Fomos pegar o meu carro e ele estava todo cheio de amor pra dar! Mas eu ainda estava brava.
Ele pediu para que eu o seguisse até Alphaville, pra podermos conversar. Paramos num lugar lindo, uma gruta que tem uma igreja linda (e um monte de casal se "pegando"). Ele pediu desculpas, explicou que não queria chateação naquele dia, que devia ter me falado antes…Deixei bem claro que ele havia caído no meu conceito, que agora não sabia mais se daria certo. Ele foi enfático, disse que sabia que era eu a mulher com quem se casaria. Claro que aí foi um monte de beijos e abraços, eu me esforçando para segurar todas as mãos bobas dele rsrs e ele sempre tentando.
Ficamos ali um tempinho, até eu falar que era hora de ir. De novo nos despedimos e fui embora.
Dessa vez o caminho para casa foi diferente. Claro que eu sentia muita atração física por ele, o beijo dele era maravilhoso, mas eu fiquei muito pensativa…Será que valia à pena?

*Continua...

Distância entre nós.

Alyne Landim

Postar um comentário