quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Nossa história de amor - parte 2

Assim que eu entrei no shopping, vi que ele estava lotado! Muitas pessoas indo e vindo, parecia que eu estava na 25 de março!
Olhei para o banquinho que ficava em frente ao Bob's, pra ver se ele estava lá sentado, mas não estava. Fui andando mais um pouco, olhando pra todos os lados, até que o avistei no meio da multidão, andando no sentido contrário.
Eu o chamei bem alto: "Eduuuu"!!
Ele olhou pra mim, desviou o olhar e então olhou de novo, surpreso! Ele não me reconheceu de cara. 
Andei até ele toda sorridente, pedindo mil desculpas pelo atraso. Ele me disse que já estava indo embora, porque achou que eu não iria.
Nos cumprimentamos com um beijinho no rosto e um abraço de leve.
Resumo do Post
Restante do Post
Ele estava um pouco contrariado, por causa do meu atraso. Não falou nada, mas eu percebi. Percebi também o quanto ele era tímido, porque não conseguia me encarar. Eu ali falando, falando, gesticulando, e ele todo sem graça.
Ele perguntou o que eu queria fazer e eu disse que poderíamos assistir um filme.
Fomos para a fila do cinema e ele continuava olhando para o chão! 
Eu já estava me sentindo quase uma E.T. rsrs Perguntei se estava tudo bem e ele falou que eu era muito diferente da foto.
- Diferente como? - perguntei 
- Você é muito mais bonita! - ele me respondeu.
Soltei uma gargalhada, porque não pude me conter! Ele falou isso com os lábios tremendo de tanta vergonha.
Tadinho, mal sabia o que viria a seguir.
Como recém separada e trabalhando para sustentar meu filho sozinha, todo dinheiro que eu ganhava era para cuidar dele. Fora isso, eu tinha prometido para mim mesma, que nunca mais sustentaria homem nenhum.
Ainda na fila do cinema, ele me perguntou o que eu queria assistir. Olhei os cartazes e escolhi "Amor à segunda vista", mas apropriado, impossível!
Chegamos ao caixa e eu fiquei imóvel, esperando ele sacar a carteira e pagar. Eu tinha dinheiro, mas se ele dissesse pra eu pagar meu ingresso, aquele seria nosso primeiro e último encontro.
Antes que eu concluísse meu raciocínio silencioso mental, ele pagou tudo, guardou a carteira e ainda pegou na minha mão!
Fiquei pensando: "cadê a timidez?"
Faltava mais de 1 hora para a sessão começar, ele perguntou se eu queria comer alguma coisa. Fomos andando e acabamos entrando no Mc Donalds, porque o mundo inteiro estava naquele shopping! rsrsrs Lá era o único lugar onde conseguiríamos sentar e comer dentro do tempo.
Novamente ele tomou a frente, pagou a conta, e acumulou mais um pontinho positivo comigo rsrs
Sentamos e começamos a conversar, enquanto comíamos.
É incrível a sensação de estar sentada com uma pessoa que você nunca viu na vida, mas que ao mesmo tempo, parece já conhecer!
Comecei a reparar em cada detalhe do rosto dele, cada marca...suas mãos, seu jeito de falar e de comer…e fiquei me perguntando se era ele a pessoa que eu procurava.
O tempo passou, nos levantamos e fomos até a sala do cinema. Acabamos demorando um pouco mais do que deveríamos e quando entramos, só tinha lugar lá na frente. Não foi na primeira fileira, mas foi bem próximo disso.
Até aí, o máximo que tinha acontecido era ele pegar na minha mão.
O filme era bem legal. Uma comédia romântica com a Sandra Bullock e o Hugh Grant. Falava de pessoas diferentes, com vivências diferentes, mas que ao final se apaixonavam. Logo ele passou os braços pelos meus ombros e terminamos o filme assim.
Quando acabou, já era noite. Andamos para o estacionamento, que estava bem vazio, porque aos domingos os shoppings fecham mais cedo. 
Ele me acompanhou até o caixa do valet, se ofereceu para pagar, mas isso eu não deixei. Afinal, eu coloquei ali por culpa minha mesmo.
Assim que peguei meu carro (que não era meu, era emprestado do meu irmão) ele perguntou se eu poderia estacionar ao lado do seu, pra gente conversar só mais um pouquinho. Ele apontou para o estacionamento, para eu saber qual era. 
Como estávamos dentro de um shopping, cheio de seguranças, concordei.
Parei o carro e ele abriu a porta do dele. Entrei.
Ele começou a falar o quanto gostou de mim, que nunca tinha conhecido alguém como eu…e sem esperar, simplesmente me beijou!
O beijo dele foi muito bom, mas eu estava meio travada! Era muito estranha a sensação de estar beijando novamente! Ficava passando um filme pela minha mente…me questionava se estava agindo certo, beijando um estranho no primeiro encontro, todas aquelas coisas esquisitas que a gente pensa em fração de segundos.
Quando o beijo acabou, eu já estava me preparando para ir embora, porque não sabia mais como agir. Foi então que ele fez uma coisa, algo que mudou tudo e fez com que eu tivesse certeza de que era ele!!

* continua….



Essa era a foto dele no perfil Dando Mole

Uma das fotos que enviei pra ele.
Alyne Landim
Postar um comentário