terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Nossa história de amor - parte 10

Ufa!! Depois de mais de dois anos e meio, desde o primeiro "Oi" no site de namoro virtual e depois de passar por muita coisa durante esse período, finalmente o casamento iria sair.
Como escrevi anteriormente, a gente não tinha dinheiro, todo mundo contribuiu um pouquinho para que a festa acontecesse.
Meu pai pagou a diferença no cartório, porque para a juíza vir em casa realizar a cerimônia, era mais caro. Ele também providenciou o som.
Meus irmãos compraram as bebidas, minha mãe preparou as comidas. O Edu ainda deu uma espremidinha no bolso e conseguiu pagar a carne.
Para mim ficou a nossa roupa, flores, decoração e bolo.
A decoração eu consegui tudo emprestado! A gente só precisaria montar no dia. Um gasto a menos.
Já nossas roupas, eu estava preocupada, porque a grana era curta mesmo!!
Fui numa loja de aluguel para festas, pertinho de casa, e perguntei qual era o vestido mais barato da loja!! Sim, desse jeito!!
A moça até estranhou, quem chega numa loja falando isso?
Ela me mostrou um que eu adorei, mas disse que estava velho, já iria até desmanchar. Experimentei e ficou certinho em mim!
Perguntei o preço e ela falou que era R$ 60,00 (ou R$ 70,00, agora fiquei na dúvida). Nem acreditei! Tão barato assim!!! Era tudo que eu queria!! Escolhi mais um vestido para minha sobrinha, e dois ternos, um para o Edu e outro igual para meu filho. Consegui alugar todos por um pouco menos de R$ 200,00, dá pra acreditar??
Com tudo resolvido, chegou o grande dia.
Acordei cedo e tive a ajuda da minha amiga Lina, que estudou comigo na faculdade, para organizar tudo.
Fomos num lugar onde vendia flores, era um pouco longe de casa, mas lá era o melhor preço. Escolhemos flores do campo e rosas salmão só para o buquê.
Voltamos para casa correndo e enquanto ela e minha mãe arrumavam a decoração, eu confeitava os bolos.
O casamento estava marcado para as 14h, mas as 13h o Edu chegou com a família dele.
Eu estava toda bagunçada, ainda na cozinha terminando de enfeitar o último bolo rsrs Foi engraçado ele chegar todo arrumando e me encontrar daquele jeito.
Minha amiga fez o meu buquê e me ajudou a me arrumar.
Nessa hora eu já suava frio!! Que ansiedade!!
Eu não imaginava que ficaria daquele jeito!!
Comecei a enrolar meu cabelo com um baby liss, mas eu tremia tanto, que derrubei o aparelho no chão e ele quebrou. Então meu cabelo ficou um pouco diferente do que eu havia planejado.
Quando deu 14h em ponto, eu fiquei pronta.
Meu pai estava na porta da cozinha me esperando. Me segurei muito nessa hora pra não chorar, passava um filme na minha cabeça.
Escolhemos a música da Shania Twain "From this moment on" para eu caminhar até o altar.
Fui andando pelo tapete vermelho, vendo nossa família em volta do altar…um momento inesquecível!!


Tudo tão simples, tudo tão sofrido! Eu só pensava nesse momento: "Obrigada por me dar mais uma oportunidade, Senhor!"




Primeiro foi o casamento no civil. Acrescentei Aguiar no meu nome e tirei Quintino, sobrenome da minha mãe, fiquei só com o Landim.



Os dois canhotos!



Depois foi a hora da cerimônia religiosa.






Essa parte do altar, fica bem em frente ao antigo porão que morei, onde meu pai construiu uma casa para meu irmão.




Não me lembro quanto tempo durou a cerimônia. Primeiro porque eu estava bem nervosa, segundo porque estava um calorão e o sol batia bem nos meus olhos! Tive que desviar os olhos do pastor diversas vezes, porque senão era capaz da minha pressão cair e desmaiar no meio do casamento rsrs
Quando enfim acabou e saímos de mãos dadas, foi um alívio profundo e também uma sensação de que dali pra frente tudo seria diferente.
Fomos para a área perto da piscina, onde seria o churrasco e nossos familiares estavam sentados.



Nós três, unidos para sempre!!
Na verdade, já éramos quatro, mas nem imaginávamos!!


Tudo bem simples, mas a gente estava muito feliz!!


O Victor estava igualzinho ao Edu.


 Minha sobrinha linda! Ela e o Vi levaram as alianças. Quer dizer, mais ou menos, porque na hora ficaram com vergonha e precisaram de ajuda.


O Edu com sua mãe. Infelizmente, após 4 anos ela veio a falecer.



 Eu e meus pais, que ainda eram casados. 


Meus amores.




A mesa com os bolos que eu mesma fiz. Recebi muitos elogios, mas não cheguei a provar.



E assim encerramos a primeira parte da nossa história de amor, que tinha tudo para dar errado, que não teve nada dentro do previsível, mas que exatamente por ser única, é que foi tão especial.
Durante esses dois anos e meio, amadureci demais, aprendi demais e estava pronta para fazer tudo diferente.
Começava aqui uma história que já tem mais de 10 anos, de amor, união e principalmente companheirismo.
Não somos perfeitos, mas desejamos demais fazer dar certo!! Para isso nos esforçamos a cada dia, cultivando aquele amor que surgiu através de um "acaso", mas que não é por acaso que está durando. É fruto de muita dedicação.
Jamais poderia imaginar tudo isso que vivi. Na minha adolescência, eu imaginava ter uma vida calma e comum. Mas nem tudo que vivemos pode ser planejado. 
Hoje eu tenho certeza de que tudo foi para meu bem, eu precisava enfrentar tantas coisas para ser quem hoje eu sou. E se eu soubesse que o resultado seria tão feliz, passaria por tudo de novo!!

***

Muito obrigada à cada um que leu e se emocionou com a nossa história. Acreditem sempre no amor e em dias melhores. A vida é nossa maior escola e nossas vivências devem servir para nosso crescimento e para nos tornarmos seres humanos melhores.

Grande beijo,

Alyne Landim














Postar um comentário